A Época de Natal e Ano Novo é sinónimo de família e amigos, de presentes, de solidariedade, de consumo e de Festa. Para muitos, este costuma ser um período especial e este ano não será diferente. Aliás, muitos portugueses têm a expetativa de que será melhor, uma vez que este ano, devido aos altos níveis de vacinação, esperam poder passar a festividade com mais pessoas. Será uma mesa cheia, mas isso não significa que não existam cuidados.

Portugueses tencionam gastar em média 150€ nas promoções da Black Friday e da Cyber Monday

43% dos portugueses inquiridos revelam que vão realizar algumas compras no âmbito da Black Friday e da Cyber Monday para aproveitar as promoções e antecipar as compras de Natal (32%). Já 11% admitem aproveitar a ocasião para fazer compras para si ou para os outros, sem estar relacionado com o Natal.

Os jovens com idades compreendidas entre os 25 e 34 anos e os 18 e os 24 anos (58% e 50% respetivamente), e os habitantes na Grande Lisboa (57%) são os que mais tencionam aproveitar estes dias de descontos. 30% dos inquiridos admitem que não tencionam aproveitar estas datas, mais concretamente os portugueses dos 55 aos 64 anos (41%).

Durante estes dias promocionais, os portugueses optam por comprar essencialmente vestuário e acessórios (68%). Seguindo-se os perfumes e a maquilhagem (48%), os brinquedos (31%), os relógios e joias (24%) e, a fechar o top cinco, os artigos tecnológicos (12%).

Portugueses desejam passar este Natal com mais familiares reforçam prevenção e cuidados

Os portugueses começam aos poucos a preparar-se para o Natal. A grande maioria vai passar a data festiva em casa (99%). Destes, 34% gostariam de celebrar em casa de familiares (mais 13 p.p. do que no ano anterior), ao passo que 71% pretendem fazê-lo na sua própria residência (-14 p.p. face a 2020). 

O elevado nível de vacinação e a avaliação das circunstâncias em Portugal face a outras geografias aparenta estar na base da expetativa que os portugueses têm de que este ano seja possível retomar uma época festiva mais próxima do que era no pré-pandemia.

No entanto, 71% dos inquiridos vão adotar medidas de prevenção, apesar de fazerem uma melhor avaliação da conjuntura face ao ano anterior. 

85% dos portugueses optam por fazer as suas compras de Natal nos centros comerciais

Na época festiva deste ano, 84% dos portugueses tencionam comprar nas lojas físicas para fazer as suas compras de Natal. 85% escolhem as lojas nas grandes superfícies comerciais (85%), um aumento de 42% face ao ano anterior (60%), sendo que 54% dos inquiridos optam por fazer algumas das suas compras nos Super/Hipermercados (+14p.p.).

Já 31% dos portugueses tencionam comprar no comércio tradicional e 10% em Grandes Superfícies Especialistas (+6p.p.). 8% dos inquiridos tencionam fazer algumas compras em feiras ou mercados da época; e 8% em bazares de baixo custo (exemplo: “tudo a 1€”).

Para apoiar o comércio local, 18% tenciona fazer compras nos estabelecimentos perto da sua casa (lojas de bairro). 

Gastos dos portugueses com as compras de Natal devem aumentar quase 40% para os 300 euros em média

Este ano, os portugueses planeiam gastar cerca de 300 euros com as compras para o período de Natal, um aumento de 39% face ao ano anterior – em média, mais 83€ –, sendo que este valor inclui presentes, mercearia e decoração da época. Em 2020, o valor previsto rondava os 216 euros. 

A maior parcela desse valor será gasta em presentes: 147 euros, um aumento de 24% face a 2020 – sendo que 56€ serão reservados a prendas para crianças. Em segundo lugar, seguem-se os gastos em mercearia para a preparação da mesa de Consoada e de Natal: 140 euros, um aumento de 59% em comparação com o ano anterior. 

70% dos que compram presentes online fazem-no por ser mais barato

Os principais motivos que levam os portugueses a fazer as compras de Natal online são o facto de as compras online serem mais baratas do que nas lojas físicas (70%) e devido à rapidez e comodidade (63%).

Uma parte dos portugueses inquiridos também mencionam que compram online porque procuram um produto fora de Portugal (48%) e 42% fazem-no porque não têm tempo de ir às lojas. Já 26% alegam que ainda não se sentem seguros nas lojas físicas.

As compras de Natal são efetuadas, sobretudo, em marketplaces internacionais (60%), sites de marcas (55%), ou em sites agregadores/marketplaces de lojas em Portugal (32%). 

79% dos portugueses consideram que é possível ser sustentável no Natal

No entanto, são muitos os que concordam que a sustentabilidade fica em segundo plano nesta altura do ano (82%), com a grande maioria dos inquiridos (90%) a considerar que a época do Natal é um período de consumo excessivo. Para tornar o período festivo mais sustentável, 75% dos portugueses vão adotar algumas práticas neste sentido. 

No top 5 das medidas a adotar estão: a reutilização dos enfeites de Natal (44%), a reutilização da árvore de Natal artificial (36%), a reutilização de sacos para utilizar nas suas compras (24%), a compra apenas de coisas essenciais (23%) e a reutilização de papel de embrulho/laços (21%). Mais uma vez, os mais jovens, entre os 18 e os 25 anos, são os que mais se preocupam em adotar pelo menos uma destas medidas sustentáveis (60%).

Aumenta a intenção de os portugueses irem de férias no Natal ou no Final do Ano

14% dos portugueses confirmam que tencionam ir de férias no período do Natal e Ano Novo.  Este número é bastante superior ao do ano passado, em que apenas 1% pretendia ir de férias nesta altura do ano. Dos 14% que pretendem ir de férias, 9% refere que o faz para visitar a família e 5% para viajar e passear.

Ainda assim, a grande maioria (68%) não irá de férias durante neste período.

Em relação ao local onde irão passar as férias, a maior parte dos portugueses inquiridos que pretendem ir de férias escolhe fazê-lo em Portugal (87%). Destes, 55% vão ficar em casa de familiares ou amigos, 35% numa residência secundária, 12% num hotel, hostel ou pousada e 2% em casas alugadas. 

Descarregar

Metodologia:

O inquérito quantitativo do Observador Cetelem Natal 2021 foi realizado pela empresa de estudos de mercado Nielsen. Este teve como target indivíduos de ambos os géneros, de idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos, residentes em Portugal Continental. O estudo foi conduzido através de entrevistas telefónicas assistidas por Computador (CATI). No total foram feitos 600 contactos para realizar entrevistas representativas do universo em estudo. O erro máximo associado é de + 4.0 p.p. para um intervalo de confiança de 95%. As entrevistas foram conduzidas por intermédio de questionário estruturado de perguntas fechadas. Foram realizados contactos representativos da população e estratificados por Distrito; Género; Idade e Níveis socioeconómicos para encontrar o target do estudo. As entrevistas foram conduzidas por uma equipa de entrevistadores Nielsen, que receberam treino específico para o presente estudo. O trabalho de campo decorreu entre 20 a 29 de outubro 2021. 

Sobre o Cetelem

Cetelem é uma marca do BNP Paribas Personal Finance - entidade especialista em Crédito ao Consumo do Grupo BNP Paribas. Líder europeu no sector, está presente em mais de 30 países de 4 continentes, empregando mais de 20 mil pessoas. Em Portugal desde 1993, emprega 700 pessoas, serve mais de 1,35 milhões de clientes e está presente em mais de 3600 estabelecimentos de parceiros de negócio. Cartões de crédito, crédito pessoal, soluções automóvel e seguros são os principais produtos comercializados e estão disponíveis aos consumidores no site, na app, por telefone e nos estabelecimentos comerciais dos principais parceiros em Portugal, além de serem disponibilizados nas nossas lojas no Porto e em Lisboa. Para apoiar os seus clientes e parceiros, o BNP Paribas Personal Finance está empenhado em promover o acesso a um consumo mais responsável e sustentável.

Para mais informações:
ATREVIA – Agência de Comunicação 
Inês Albino – ialbino@atrevia.com 
Sara Vinagre – svinagre@atrevia.com