As férias estão a chegar ao fim e para grande parte dos portugueses é hora de começar a preparar o novo ano letivo. Neste novo ano escolar, os encarregados de educação parecem esperar que este seja um ano mais tranquilo para alunos, professores, profissionais das escolas e suas famílias.

8 em 10 encarregados de educação consideram que o novo ano letivo vai correr melhor que o anterior

A segurança sanitária (63%), a adaptação a uma nova escola (38%) e a recuperação da aprendizagem (33%) são as principais preocupações dos encarregados de educação para o novo ano letivo.

Apesar destas preocupações, 8 em 10 encarregados de educação estão confiantes que o ano letivo vai correr melhor que o anterior, com 18 a revelarem otimismo ao afirmarem se convictos que irá correr muito melhor.

O otimismo dos encarregados de educação acompanha a evolução dos ciclos de ensino, sendo menor no pré Escolar (com score médio de 3 81 numa escala de 1 a 5) e maior no Ensino Superior (4,20). É no Grande Porto (4,12) e nas Regiões Sul (4,08) e Centro (4,01) que se regista maior otimismo.

Compras continuam a ser feitas principalmente em hiper/supermercados

Lista de compras para o ano letivo 2021/22

 

Quando chega a hora de fazer a lista de compras, o material escolar essencial – como mochilas, cadernos, canetas, lápis, etc. – é a primeira categoria da lista para 98% dos encarregados de educação. No segundo lugar está o equipamento para a realização de educação física (84%) – como ténis, fatos de treino ou sacos de transporte –, com um aumento de 14 pontos face a 2020. 

Para 77% tecnologia é importante para o ensino

73% dos educandos têm um computador fixo e/ou portátil, nomeadamente, os estudantes que frequentam o Ensino Superior (89%) e o Ensino Secundário (83%). Já 27% dos estudantes não têm computador, sendo mais comum não terem na Pré-escola (58%) e no 1.º Ciclo (35%). 

Serem muito novos é justamente o principal motivo apontado pelos encarregados de educação inquiridos para o facto de alguns estudantes não terem um computador pessoal (52%). Já a falta de capacidade financeira é apresentada como razão por 24%, tendo maior peso no 2º ciclo (44%) e no 3º ciclo (41%). 21% dos estudantes também ainda não têm computador pessoal porque usam os equipamentos da família.

O preço (17%) e a durabilidade (16%) são as características mais relevantes num computador, para os inquiridos. A terceira característica é a capacidade de armazenamento (14%). Para comprarem um computador mais barato, 40% dos inquiridos prescindiriam da marca.

Os telemóveis estão no segundo lugar entre os equipamentos que mais estudantes possuem (61%). Na hora da escolha de um equipamento para o seu educando, se for uma opção, 22% considera também alugar equipamentos tecnológicos, em vez de os comprar. 

92% dos encarregados de educação vão tornar as compras do regresso às aulas mais sustentáveis

60% dos encarregados de educação concordam que é fácil tornar as compras do regresso às aulas mais sustentáveis. Os dados revelam que, quanto mais avançado o nível de ensino, mais encarregados de educação dizem que este se torna um processo fácil (pré-escolar - 51% versus Ensino Superior - 65%).

Numa análise geográfica, verifica-se que são os inquiridos da região Norte (71%) e os da Grande Lisboa (70%) os que consideram mais fácil concretizar este objetivo. Já os inquiridos da Região Centro têm opiniões menos favoráveis (41%).

Famílias contam gastar 335€ no regresso às aulas 

• Um valor em linha com o que foi gasto em 2020 (340€);

• 37% não vão gastar mais que 250€ (são menos 14 p.p. face a 2020);

• Mais de metade dos inquiridos procuram poupar neste regresso às aulas;

• Aderir às promoções, comprar menos e mais barato são algumas dicas que tencionam seguir para poupar.

Neste olhar sobre o regresso às aulas em 2021, após anos marcados pela necessidade de ensino à distância, procurámos conhecer melhor como os encarregados de educação perspetivam a tecnologia no ensino e quais as necessidades das famílias. Avaliámos igualmente de que forma a sustentabilidade e a preocupação de gerar um impacto positivo no ambiente influenciam hoje as decisões de consumo. Saiba mais

Descarregar

Metodologia:

O inquérito quantitativo do Observador Cetelem Regresso às Aulas 2021 foi realizado pela empresa de estudos de mercado Nielsen. Este teve como target indivíduos de ambos os sexos, de idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, residentes em Portugal Continental, que tenham dependentes em idade escolar. O estudo foi conduzido através de entrevistas telefónicas assistidas por Computador (CATI). No total foram feitos 1305 contactos para realizar 502 entrevistas representativas do universo em estudo. O erro máximo associado é de + 4.4 p.p. para um intervalo de confiança de 95%. As entrevistas foram conduzidas por intermédio de questionário estruturado de perguntas fechadas com a duração máxima de 12 minutos. Foram realizados contactos representativos da população e estratificados por Distrito; Sexo e Idade para encontrar o target do estudo. As entrevistas foram conduzidas por uma equipa de entrevistadores Nielsen, que receberam treino específico para o presente estudo. O trabalho de campo decorreu entre 13 a 19 de agosto 2021. 


A maioria dos inquiridos pelo Observador Cetelem Regresso às Aulas 2021 (60%) tem apenas um estudante a seu cargo, 35% tem dois e 5% tem três ou mais. 90% dos inquiridos indicam que os seus dependentes frequentam o ensino público, com os restantes a referir o ensino privado. A grande maioria (75%) tem a seu cargo estudantes do ensino básico – 28% no 1º ciclo; 31% no 2º ciclo e 36% no 3º ciclo. 24% têm estudantes a seu cargo a frequentar o ensino secundário, 9% o ensino pré-escolar e 9% estudantes universitários.

Sobre o Cetelem

Cetelem é uma marca do BNP Paribas Personal Finance - entidade especialista em Crédito ao Consumo do Grupo BNP Paribas. Líder europeu no sector, está presente em mais de 30 países de 4 continentes, empregando mais de 20 mil pessoas. Em Portugal desde 1993, emprega 700 pessoas, serve mais de 1,35 milhões de clientes e está presente em mais de 3600 estabelecimentos de parceiros de negócio. Cartões de crédito, crédito pessoal, soluções automóvel e seguros são os principais produtos comercializados e estão disponíveis aos consumidores no site, na app, por telefone e nos estabelecimentos comerciais dos principais parceiros em Portugal, além de serem disponibilizados nas nossas lojas no Porto e em Lisboa. Para apoiar os seus clientes e parceiros, o BNP Paribas Personal Finance está empenhado em promover o acesso a um consumo mais responsável e sustentável.

Para mais informações:
ATREVIA – Agência de Comunicação 
Inês Albino – ialbino@atrevia.com 
Sara Vinagre – svinagre@atrevia.com