9 de março de 2021

 

83% dos portugueses concordam com as críticas ambientais ao setor automóvel

 

• Portugueses são dos mais preocupados com o impacto ambiental do automóvel
• No entanto, metade considera que o setor é mais criticado pelo impacto ambiental que outros

 

Apesar de ainda imprescindível (60%), sabemos que a paixão automóvel tem vindo a perder importância e que são cada vez mais as pessoas a desejar a redução dos veículos nas cidades. Este fenómeno é estimulado pelo aumento da consciencialização ambiental, que tende a ser cada vez maior em toda a parte do mundo.

Os resultados são do Observador Cetelem Automóvel 2021 e indicam que, fazendo a média dos 15 países inquiridos, 7 em 10 indivíduos consideram as críticas ao automóvel pelo seu impacto ambiental justificadas. Em Portugal, são 8 em 10 aqueles que consideram as críticas justificadas, sendo o 2.º país com a percentagem mais alta (83%), só superado pelo Brasil (87%). Em todos os 15 países inquiridos este valor é superior a 50%. Mesmo nos EUA, com o conturbado quadro político sobre o ambiente, esta opinião é partilhada por 68%. 

Temos que ir à Bélgica, França e Alemanha (63%, 60% e 55%) para encontrar os menos críticos. Três países que, nas últimas eleições europeias, registaram um sucesso acentuado dos partidos ecologistas. Um paradoxo? Não, é antes a expressão de uma forma de maturidade no julgamento. Esta crítica faz agora parte da opinião pública, como se fosse óbvia, e os debates contraditórios levaram a que surgissem pontos de vista opostos que vieram moderá-la.

Ainda assim, metade dos inquiridos considera que o setor automóvel é mais criticado pelo seu impacto ambiental do que outros setores de atividade (agricultura, construção, energia, têxteis, …). Os países da União Europeia são os que mais expressam essa opinião (63% em Espanha, 59% em Itália). Em Portugal são 53%.  Pelo contrário, na China, onde o setor é bastante associado à poluição urbana, a ideia de um automóvel injustamente criticado não é muito partilhada (26%).

Os inquiridos também consideram que os veículos mais poluentes (4x4, SUV, desportivos, etc.) devem ser sujeitos a mais restrições. Nas medidas mais apoiadas destacam-se a limitação das emissões de CO2 (80%), imposições de limites à cilindrada (63%) e aumento de impostos para esses veículos (62%).

Metodologia

As análises económicas e de mercado, bem como as projeções, foram realizadas em parceria com a empresa de estudos e consultoria C-Ways, especializada em marketing de antecipação.
O trabalho de campo quantitativo foi conduzido pela Harris Interactive de 2 a 11 de setembro de 2020 em 15 países: África do Sul, Alemanha, Bélgica, Brasil, China, Espanha, Estados Unidos da América, França, Itália, Japão, Holanda, Polónia, Portugal, Reino Unido e Turquia.
No total, foram entrevistadas 10.000 pessoas online (método de recolha CAWI), com idade entre 18 e 65 anos, representativas de cada país. A representatividade da amostra é assegurada pelo método quotas (sexo, idade). Foram entrevistadas 500 pessoas em cada país, exceto em França onde se realizaram 3 mil entrevistas.


Sobre o Cetelem

Cetelem é uma marca do BNP Paribas Personal Finance - entidade especialista em Crédito ao Consumo do Grupo BNP Paribas. Líder europeu no sector, está presente em mais de 30 países de 4 continentes, empregando mais de 20 mil pessoas. Em Portugal desde 1993, emprega 700 pessoas, serve mais de 1,35 milhões de clientes e está presente em mais de 3600 estabelecimentos de parceiros de negócio. Cartões de crédito, crédito pessoal, soluções automóvel e seguros são os principais produtos comercializados e estão disponíveis aos consumidores no site, na app, por telefone e nos estabelecimentos comerciais dos principais parceiros em Portugal, além de serem disponibilizados nas nossas lojas no Porto e em Lisboa. Para apoiar os seus clientes e parceiros, o BNP Paribas Personal Finance está empenhado em promover o acesso a um consumo mais responsável e sustentável.

Para mais informações:
ATREVIA – Agência de Comunicação 
Pedro del Rio – pdelrio@atrevia.com 
Sara Vinagre - svinagre@atrevia.com