15 de outubro de 2020

 

A relação dos portugueses com a casa: espaço para família, descanso e conforto

 

• A grande parte dos portugueses (71%) procura sair de casa todos os dias

• Dentro da habitação a sala é a divisão onde os portugueses passam mais tempo. 

 

No decurso do ano, a casa tornou-se um refúgio para a maior parte dos portugueses onde, devido ao confinamento, nos vimos obrigados a passar mais tempo. Por esta razão, o Observador Cetelem propôs-se a analisar as vivências dentro da habitação, desde a tipologia do espaço até aos planos para o futuro. 

Para a grande parte dos inquiridos, a casa é o espaço que associamos sobretudo à família (55%). Mas é também um local de descanso (28%) e conforto (26%). Com percentagens menos significativas os inquiridos referiram ainda segurança (9%); lar (8%); amor, limpeza, bem-estar e sossego (com 7% cada um).

E se é verdade que as casas se transformaram e passaram a ser muito mais do que o espaço onde chegamos ao fim do dia de trabalho, passando a ser parte dominante desse dia, atualmente 7 em cada 10 portugueses (71%) procuram sair de casa todos os dias e apenas 24% diz que sai apenas dois a quatro dias por semana. 

Os inquiridos com idades entre os 18-24 (73%); 25-34 (81%); 35-44 (78%) e 45-54 (81%) e os residentes na zona da Grande Lisboa (82%) são os que mostram mais vontade de sair todos os dias. Já as saídas duas a quatro vezes são mais frequentes nos inquiridos entre os 65 e os 74 anos (48%) e entre residentes no Grande Porto (32%) e na região Centro (33%).


A vivência dentro de casa

Dentro da habitação a sala é a divisão onde grande parte dos portugueses passam mais tempo (94%), seguido do quarto próprio (83%) e da cozinha (81%). 

Mas quando questionados sobre as três divisões da casa onde passam mais tempo, a cozinha surge como primeira resposta do género feminino (41%), por oposição género masculino (11%), que referem, como primeira escolha, a sala (50%). Já os jovens dos 18 aos 24 anos referem o seu quarto em primeiro lugar (59%).

Para enfrentar o período de confinamento, 34% dos inquiridos afirmam que não foi preciso criar um espaço de trabalho e/ou estudo próprios e 31% diz mesmo que já tinha este espaço. 29% tiveram de criar um espaço próprio, sendo que destes 17% optou por trabalhar e/ou estudar na sala; 6% no quarto; 2% no quarto dos filhos e 2% na cozinha.
 

Metodologia
O inquérito quantitativo do Observador Cetelem 2020 foi realizado pela empresa de estudos de mercado Nielsen. Este teve por base uma amostra representativa de 1000 indivíduos residentes em Portugal Continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos de idade. A amostra total é representativa da população e está estratificada por distrito, sexo, idade e níveis socioeconómicos e conta com um erro máximo associado de +/- 3.1 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%. As entrevistas foram realizadas telefonicamente (CATI), com informação recolhida por intermédio de um questionário estruturado de perguntas fechadas. O trabalho de campo foi realizado entre 9 a 16 de setembro de 2020. 


Sobre o Cetelem

Cetelem é a marca do Banco BNP Paribas Personal Finance, presente em Portugal desde 1993. Líderes europeus, estamos presentes em mais de 30 países de 4 continentes, empregando mais de 20 mil pessoas. Em Portugal contamos com mais de 740 colaboradores e servimos anualmente mais de 1,37 milhões de clientes e estamos presentes em mais de 4000 estabelecimentos de parceiros de negócio. Cartões de crédito, crédito pessoal, soluções automóvel e seguros são os principais produtos comercializados pelo Cetelem e estão disponíveis aos consumidores em cetelem.pt, por telefone e nos estabelecimentos comerciais dos principais parceiros em Portugal, além de serem disponibilizados nas nossas lojas no Porto e em Lisboa.

Para mais informações:
ATREVIA – Agência de Comunicação
Catarina da Fonseca – cfonseca@atrevia.com
Inês Albino – ialbino@atrevia.com